O seu navegador necessita de suporte Javascript para esta funcionalidade.
25 de Março de 2017
Utilize as teclas de atalho Alt+1 para navegar para a área de conteúdos do sítio web.
  • Boletim
  • N.º 3 SET 2008

N.º 3 SET 2008

Com a reabertura parcial do Museu de Évora  programada para Dezembro desse ano, o terceiro número do Boletim on-line do Museu de Évora retoma os textos que apresentam os trabalhos dos "bastidores". A intervenção de conservação e restauro do Presépio do Museu de Évora é um bom exemplo do desafio colocado por uma peça em que estão reunidas uma rara combinação de elementos: uma estrutura palaciana de conchas, imagens de cerâmica e cera de diversas proveniências associadas a uma maquineta de talha dourada. É também um bom exemplo de uma intervenção de conservação e restauro como propiciadora de uma cuidadosa análise histórica e cientifica. 
Duas das colecções menos estudadas do Museu, a Colecção de Armas e os fósseis marinhos da Colecção de Naturália foram objecto de um cuidadoso inventário e aqui se apresentam os respectivos catálogos.

No ano em que se assinala o bicentenário do "Saque de Évora" pelas tropas francesas, recuperamos um texto vibrante e particularmente revelador das contradições do pensamento reformador de Frei Manuel do Cenáculo, que nos conta em detalhe todas as vicissitudes da ocupação e da revolta popular de 1808, bem como todos os danos causados às suas preciosas colecções.
A talha dourada e os azulejos do século XVIII voltam também a merecer atenção com o estudo dedicado a renovação artística do templo da Misericórdia de Évora, onde participaram o mestre entalhador Francisco da Silva, António de Oliveira Bernardes e o pintor Francisco Lopes Mendes, este último também representado nas colecções do Museu de Évora.