Perú. Detalhe da pintura "Perú e galos".O Museu de Évora possui quinze pinturas dadas como da produção de José António Benedito de Faria e Barros, conhecido como “o Morgado de Setúbal”. Mesmo considerando que três destas pinturas podem ter atribuição discutível, é um núcleo importante de obras do pintor, actualmente talvez o maior, depois do grande grupo de 26 pinturas do Museu Carlos Machado de Ponta Delgada, que pertenceu à antiga colecção da Condessa de Cuba. Todas as pinturas datam das décadas de 1780 e 1790 e, à excepção de duas, todas pertenceram à colecção de Frei Manuel do Cenáculo.

Repetições de pinturas seiscentistas são as duas naturezas mortas do Museu de Évora, curiosamente as duas pinturas que não pertenciam à colecção Cenáculo, mas foram mais tarde compradas por Cunha Rivara para a Biblioteca Pública de Évora. As duas obras são par, mas se a técnica com que dá a textura e a cor aos frutos é idêntica, já a composição da Cesta de Frutas é muitíssimo mais complexa, com vários planos de profundidade, sem rigidez na relação entre os vários elementos do quadro e com uma paisagem enquadradora de belo efeito, elemento que foi sempre insuficientemente tratado na obras do Morgado. Esta comparação mostra-nos estarmos perante obras realizadas no mesmo tempo, mas sobre protótipos de uma qualidade muito diversa.