Estes cinco desenhos estão colados num elaborado fundo ornamental a imitar mármore vermelho, situação similar a outros conjuntos pertencentes à Colecção do Museu de Évora. Como salientou Túlio Espanca (1969), é natural que estes fundos tenham sido feitos pelo pintor António Joaquim Padrão (1731-1771), gravador e coleccionador dos desenhos de Vieira e amigo de Frei Manuel do Cenáculo. As folhas estão rodeadas por molduras fictícias imitando estuque, com os quatro desenhos mais pequenos agrupados em pares, com o maior ao centro, o que faz com que o conjunto tenha a aparência de uma série de quadros pendurados em exposição.

O estudo de composição ao centro é um projecto para uma tábua de altar representando Santa Cecília tocando órgão. De acordo com Luísa Arruda, trata-se de uma alusão aos interesses musicais de D. Bárbara de Bragança, filha do Rei D. João V, que em 1729 se casou com o príncipe espanhol D. Fernando, e que viria a tornar-se Rainha de Espanha em 1746. D. Bárbara de Bragança era uma apaixonada pela música, e amiga e admiradora do compositor italiano Domenico Scarlatti (1685-1757) de quem recebeu lições. Vieira fez uma versão idêntica deste desenho, hoje no museu Nacional de Arte Antiga, ao qual adicionou um possível retrato do músico. Entre as outras santas que acompanham Santa Cecília na zona inferior da composição, identificamos Santa Catarina, Santa Bárbara, Santa Isabel de Portugal, Santa Inês, Santa Apolónia, Santa Lúcia e Santa Teresa.


Os dois estudos de composição emoldurados ao alto, Judite e Holofernes e Jael e Sísera, derivam livremente das composições em mosaico, de grandes dimensões e com os mesmos temas, realizadas entre 1675 e 1713, com base em projectos de Carlo Maratti (1625-1713), para a Capella della Presentazione, em São Pedro, Roma. São, evidentemente, exemplos tradicionais da força de carácter feminino e celebram o heroísmo de mulheres inspiradas pela fé, o que estaria em perfeita correspondência com os desenhos para as medalhas comemorativas, colocadas em baixo, exaltando as virtudes de D. João V, seu pai, na defesa do reino de Portugal.

(NT)

 

BIBLIOGRAFIA:

Catálogo da Exposição Vieira Lusitano, 1699-1783. O desenho. Lisboa: Instituto Português de Museus, Museu de Arte Antiga, 2000

Turner(2000), Nicholas, Desenhos de mestres europeus em colecções portuguesas. Lisboa: Centro Cultural de Belém, 2000.

Catálogo da Exposição de Desenhos de Vieira Lusitano existentes no Museu de Évora. Évora, Museu de Évora, 1969