Inscrição: AQVI IAZ O REVERENDISSIMO E MVITO ILLUSTRE SENHOR DOM AFONSO DE/ PORTVGALL FILHO DO MARQVES DE VALENCA NETO DEL REI DOM Y DE BOA/ MEMORIA E HERDEIRO DA CASA DE BRAGANCA FOI BPO DESTA CIDADE PORQVE/ ALLEM DA SUA DEVACAM QVIS EL REY DOM Y O 2 QVE FOSSE CLERIGO FALECEO/ AOS XXIIII DIAS DE ABRIL ERA DE 1522

 

As obras da Igreja do Convento da Graça realizadas em colaboração com o arquitecto Miguel de Arruda, entre os anos de 1536 e 1542, são a última obra que conhecemos de Nicolau de Chanterene e o principal trabalho que se lhe atribui a em Évora.

Como indica a epígrafe em memória de D. Afonso de Portugal, filho dos Marqueses de Valença e Bispo de Évora, o cenotáfio foi realizado para panteão da casa dos Condes de Vimioso, tendo sido colocado in situ somente duas décadas após a morte do bispo D. Afonso.

O cenotáfio divide-se em três corpos de altura. O superior é constituído por um frontão triangular curvo, um friso e uma meia cúpula em forma de vieira. No friso representa-se, entre uma coroa de louros, uma figura masculina, que pode representar o retrato idealizado de D. Afonso. No nível intermédio há um nicho, onde provavelmente estaria a pedra de armas do bispo, cobertas parcialmente por um manto de luto, que ainda se distingue parcialmente. Incompleto, também falta os colunelos laterais e as esculturas das pequenas edículas. Na zona inferior, o letreiro é ladeado por duas mísulas com enrolamentos de acantos.

No ambiente de intensa pesquisa e proposição de valores estéticos e ideológicos que se vive em Évora no segundo quartel do século XVI, as obras do Convento da Graça prosseguem o sentido de actualização, num conjunto de edifícios públicos que pretende firmar o estatuto da cidade como sede da corte.

 

Celso Mangucci

 

BIBLIOGRAFIA

 

Catálogo da Exposição Do Mundo Antigo aos Novos Mundos. Humanismo, Classicismo e Notícias dos Descobrimentos em Évora (1516-1624). Lisboa: Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses e Câmara Municipal de Évora, 1998.


DIAS (1987), Pedro, Nicolau Chanterene Escultor da Renascença. Lisboa: Publicações Ciência e Vida, 1987