Busto em tamanho natural com o retrato de uma senhora de idade madura de stolla e palla, com um penteado característico usado pela imperatriz Faustina Maior, esposa de Antonino Pio, datado no segundo terço do século II d.C.

Foi descoberto no século XVIII, na área que correspondeu à cidade romana de Balsa (Tavira, Algarve), e integrou as colecções do Bispo Frei Manuel do Cenáculo. A incisão é, possivelmente, desta época, e correspondeu a uma intervenção de restauro para colmatar a fragmentação do nariz.

Trata-se do retrato de uma dama que segue a moda da época em que vive, perfeitamente identificada com os retratos oficiais da imperatriz, tanto em esculturas como na numismática. O penteado se forma por um volume de cabelos ondulados, cingido pelas voltas de uma trança para formar uma torre. Foi realizado por uma oficina local e tanto pode ter tido uma função decorativa, num ambiente doméstico, como fazer parte de um monumento funerário. Como paralelo refiram-se os bustos da imperatriz Faustina Maior de Mérida e de Tarragona, sendo prova inegável da existência de uma oficina de referência em Mérida.

 

Luís Jorge Gonçalves e Trinidad Nogales Basarrate

 

BIBLIOGRAFIA


Catálogo da Exposição Imagens e Mensagens. Escultura Romana do Museu de Évora. Lisboa: Instituto Português de Museus e Museu de Évora, 2005


Catálogo da Exposição Tavira, Território e Poder. Lisboa: Instituto Português de Museus, Museu Nacional de Arqueologia e Câmara Municipal de Tavira, 2003