Há um bom núcleo de retratos seiscentistas portugueses (que se completam com as curiosas miniaturas sobre cobre), enquanto as Naturezas-Mortas estão representadas por Josefa d’Óbidos pelo seu pai Baltazar Gomes Figueira e por mestres espanhóis e italianos.

Da Holanda, entre os retratos de pintores e pintoras, destaca-se o de Rembrandt e, nas paisagens, uma “Cena de Inverno” de Hendrick Avercamp e uma “Erupção do Vesúvio” do italiano Carlo Bonavia, datada de 1758.

A recente aquisição de uma obra de Álvaro Pires de Évora, a única em museus públicos em Portugal, alargando os horizontes cronológicos até os princípios do século XV, é mais um factor de distinção da importância estética e didáctica da nossa colecção.