Báculo em xisto cinzento polido, com as faces planas. Decoração geométrica incisa, em apenas uma das faces. É decorado com cinco faixas que acompanham longitudinalmente a forma do báculo, alternando faixas lisas com as preenchidas por decoração de “espinhas”. Na parte inferior, apresenta uma área sem qualquer decoração demarcando uma zona para a pega.

O báculo poderá ser um instrumento de representação do poder social e político, no caso associado ao poder religioso, de carácter xamanístico. Encontrado em contexto de enterramento, não tão comum como as placas de xisto de que partilha a temática figurativa, os báculos ocupam normalmente um lugar especial, na cabeceira do monumento, o que parece confirmar uma estratificação social, identificando de maneira positiva o seu proprietário.

 

BIBLIOGRAFIA


GONÇALVES
(1999), Victor S., Catálogo da Exposição Reguengos de Monsaraz, Territórios Megalíticos. Lisboa, Museu Nacional de Arqueologia, 1999