Raio X da obra de Álvaro Pires de Évora.A radiografia documentou essencialmente três tipos de alterações. Em primeiro, as que dizem respeito à moldura: são visíveis dois grossos parafusos, de dimensões apreciáveis colocados no topo da pintura, certamente para suster uma nova tábua cimeira. A tábua de base da moldura foi também refeita, mostrando um cuidadoso restauro com espaços de dilatação das madeiras, numa prancha composta de pequenos fragmentos móveis. É possível ainda notar-se a existência de pequenos pregos, certamente derivadas de restauros de arcarias e folhagens que possivelmente estiveram presos a este arco. Até 1998, pelo menos, a pintura e Évora mantinha ainda, as colunas torsas que suportavam o arco.


No que toca à camada pictórica, as modificações visíveis podem dividir-se entre as alterações durante o processo de criação e os repintes tendentes a escamotear alguma degradação da pintura.
Nesse último caso, acontecem principalmente em duas zonas da tábua: entre a barba e o livro de São Bartolomeu, e no chão da pintura. O chão era originalmente coberto por um tapete, do tipo semelhante ao que aparece noutras obras de Álvaro Pires, como o São Miguel e São João Baptista do Museu Narodwe de Varsóvia. Toda a superfície foi enegrecida, certamente na tentativa de escamotear a sua degradação e homogeneizar esta parte da pintura.


Mais interessante é a modificação que se verifica nos olhos da Virgem, por se tratar de um caso de arrependimento do artista. De facto, são visíveis, por baixo dos olhos, apontamentos de uma primeira execução (ou esboço) de uma outra posição da vista. Aparentemente o pintor chegou a considerar a hipótese de colocar o olhar da Virgem sobre o menino e não sobre o espectador. A pintura, a ser executada assim, aproximar-se-ia mais dos modelos inspirados em Simone Martini da Virgem da Humildade e menos nas Virgens em majestade.

Os exames detectaram ainda um outro arrependimento. A fotografia de infravermelhos permitem-nos observar que uma estrela de oito pontas chegou a estar desenhada na pintura do Museu de Évora, sendo depois anulada pelo acabamento da pintura do manto. Essa opção do pintor existe em outra obra de Álvaro Pires, A Virgem entre São João e São Tiago.


Joaquim Oliveira
Caetano

 

BIBLIOGRAFIA

Catálogo da Exposição Álvaro Pires de Évora. A Virgem com o Menino. Évora: Instituto Português de Museus e Museu de Évora, 2002